sexta-feira, 10 de abril de 2015
Texto de Bruna Corrêa.

               Acho que depilação da virilha, de todos os assuntos relacionados ao corpo, é o mais polêmico. Não sei se é assim para todas as mulheres, mas desde nova eu aprendi que é um assunto delicado e que gera bastante controvérsia.
                Desde a fundação deste blog eu quis falar sobre esse tema, mas sempre tive um pé atrás – e vou explicar minhas razões com três experiências que eu tive. Quando eu tinha mais ou menos 14 anos, a depilação surgiu como assunto entre algumas colegas. Estas, eram “populares” e sempre saíam, tinham a vida sexualmente ativa – diferentemente de mim. Eu era uma noob quando se tratava de sexo, mas obviamente não queria demonstrar, e então fiquei somente escutando. Lembro perfeitamente quando uma das garotas falou: “Ah, eu depilo a virilha toda, com cera. Porque né, que nojo, pelo é antinatural”. Sim, “antinatural”. Outra menina concordou e falou que quem tinha pelo era uma pessoa suja. E eu acreditei nelas, porque elas eram o único padrão que eu tinha. Uma pequena lição de saúde antes de prosseguirmos: os pelos pubianos servem como proteção contra microorganismos que podem causar infecção genital, principalmente em mulheres. (RODRIGUES, 2013) Concluímos com isso que, definitivamente, eles não são “antinaturais”.
                Recentemente, outra amiga começou a se depilar com cera. Ela, também, falava que depilava tudo, porque era mais “limpo”. Eu via a cara de nojo dela quando alguém falava que depilava com lâmina, e uma atitude de superioridade, do tipo: “sou mais mulher que você porque sofro todo mês”.
                E fica pior. Minha amiga estava ficando com um cara, e os dois já tinham um envolvimento sexual a um tempo. No entanto, o rapaz solta essa bomba: “Só namoro com você se você depilar toda a virilha!”
                O que ela fez? Namorou com ele. E continua namorando.

                É engraçado pensar como esse estilo de depilação onde se retiram todos os pelos - chamado de “Brazilian Wax” no exterior – é tão recente. No início do século passado, era de aceitação comum que homens e mulheres tivessem pelos nos mesmos lugares (SEMÍRAMIS, C. 2014). Há 30 anos atrás, a depilação normal já existia, mas de forma bem moderada. E agora, a retirada completa dos pelos é uma febre e se tornou motivo de necessidade. Se você não o faz, é porca, suja, desleixada. Ou pior, feminista. Por que pior? Basicamente, o movimento feminista ficou rotulado por mulheres masculinizadas, que não usam sutiã e nem depilam (virilha, axila, perna). Claro que estas existem, mas não são todas.
Ter pelos, nessa perspectiva, tornou-se sinal de virilidade e marcador do masculino; uma mulher que não se depila invade um território marcado como masculino e é constrangida a controlar seu corpo – e seus pelos – para se feminilizar e ser aceita socialmente.” (SEMÍRAMIS, C. 2014)
O objetivo das mulheres que não aderem a depilação por motivos feministas é que esse hábito é algo construído socialmente para reprimir as mulheres. Romper com ele é romper com o patriarcalismo. Mas você não precisa adotar isso para ser considerada feminista – as escolhas que nós fazemos no âmbito individual são diferentes das do social, e o fato de você depilar ou não vem das suas ideias. Se você depila por livre e espontânea vontade, pelos seus motivos e não porque deve – porque alguma pessoa te disse que é o certo – você já está adotando o feminismo.
O corpo é nosso, e nós fazemos com ele o que bem quisermos. Você pode depilar com cera, lâmina, creme, ou não depilar, e isso vai de acordo com o seu bem-estar, com o que você se sentir à vontade. Persista nas suas ideias – nunca deixe ninguém te abater falando que um tipo de depilação é certo e os outros errados. Isso sempre foi um motivo de grande questionamento pra mim, o fato de a depilação à cera ser considerado o melhor método. O que tem de maravilhoso em quase ter sua pele arrancada? Na minha opinião, isso não te faz uma mulher superior. Eu vejo os benefícios desse método, mas acho essa glorificação toda injustificável. Tudo bem se depilar assim, não estou fazendo aqui um Manifesto Contra a Cera Quente, mas por favor, não se gabe sobre isso. 
 



É complicado, hoje em dia, lutar contra a pressão de alguns homens, que acham que a mulher deve ser de um jeito específico, e da mídia, com a visão de corpo perfeito que é imposto e que a população acaba aceitando. Mas acho que, com pequenas ações, podemos ir combatendo lentamente essas imposições.

Referências Bibliográficas.

MOSCHKOVISH, Marília. "É feminista, mas usa salto e faz depilação". Carta Capital.2014. Link aqui.
RODRIGUES, Thiago H. Para que servem os pelos pubianos?. Muito Interessante. 2013. Link aqui. 
SEMÍRAMIS, Cynthia. Feminismo e Depilação. Cynthia Semíramis. 2014. Link aqui.

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.

Popular Post

Seguidores